Por que fazer handstripping em Westie?

Antes e depois de handstripping em Westie. Cão: Candy, de Vera Vasconcellos – Fotos: Vanderlei Ferrari Lopes

Confira algumas dicas e razões pelas quais se deve aplicar essa técnica na raça

Nos cães da raça West Highland White Terrier, carinhosamente chamados de Westies por seus admiradores, os pelos primários compõem o revestimento de arame da pelagem. O folículo se constitui de pelo primário que dá a textura grossa à pelagem. Para cada pelo primário, temos uma série de fios secundários (subpelos) mais finos e lanosos. Ambos “vivem” fincados no mesmo folículo.

O handstripping deve ser feito por especialistas para que os pelos sejam arrancados corretamente.

Neste procedimento (das fotos acima) fiz a remoção dos pelos velhos e opacos, renovando a pelagem e os fios deste cão.

HAND EM FILHOTE

Sobre filhotes devemos sempre marcar um horário e dia tranquilo para fazer a adaptação e nos conhecermos com todo carinho e paciência. Na primeira tosa, vamos brincando e fazendo carinho para não causar nenhum estresse, e para que o animal veja isso como uma forma de carinho, proporcionando a ele o maior bem-estar dentro do banho e tosa.

Cabeça do Westie deve lembrar um Crisântemo – Fotos: Vanderlei Ferrari Lopes

INÍCIO DA TOSA

Começo o procedimento do Westie pela tosa higiênica, onde faço o “V” das patas com a lâmina. A Tosa higiênica das patas é feita não somente nesta raça como também nas demais, tirando os pelos das patas e fazendo com que o animal se sinta mais seguro, dando mais aderência e não correndo o risco de escorregar, pois a maioria vive dentro de casa, em piso frio e escorregadio.

CORPO DO CÃO

Nesta parte do flat work (marcação de tosa em regiões específicas) faço o pescoço com o modelador de tosa mais baixo, lembrando que o pescoço do West tem que ter um comprimento moderado para o porte correto da cabeça. Ele tem que ser musculoso (forte) e se fundir com os ombros.Nesta região delicada faço o flat work com um modelador de tosa (o mesmo que utilizei no pescoço).

Na cauda fiz handstripping com faca, lembrando que o rabo do Westie tem que ter o formato de cenoura, revestida com pelos ásperos, sem franjas, portada alta e sem ser curvada sobre o dorso.

Fazendo hand no dorso, que extrai a pelagem morta, o pelo duro é arrancado pela raiz dando lugar a outro pelo novo e igualmente duro.

Esse processo é a tosa padrão, ou seja, a tosa oficial da raça. Em inglês usou-se o termo strip, que significa retirar, despir, desnudar e assim podemos dizer que seria “retirado à mão”.

Arranquei os pelos do dorso com a faca, deixando o mais reto possível.

No pescoço faço um blend (transição do mais curto para o mais longo , suavizando degrau para deixar a tosa natural e uniforme) com a tesoura semi dentada até a ponta do ombro para suavizar a tosa.

PATAS E ORELHAS

Patas redondas de tamanho proporcional, fortes, densamente acolchoadas e cobertas por pelagem curta e dura, feitas com tesoura.

A sola dos coxins e as unhas devem ser perfeitamente retas.

Tirei o excesso de dentro das orelhas com a máquina.

Lembrando que as orelhas devem ser pequenas, eretas e pontiagudas e o pelo das orelhas é curto.

O acabamento com a tesoura nas orelhas, não deixa franjas nas pontas e deixa a orelha pontiaguda. 

CABEÇA

A cabeça é revestida de pelagem densa, visto pela frente apresenta um contorno homogêneo desde as orelhas até os olhos.

Monto a cabeça desfiando os fios com a faca (como se fosse um penteado de casamente).

Depois de aplicado o pó de handstripping, fixo com laquê específico para pets, prezando sempre o bem-estar do animal, aplicando o produto sobre a área correta preparando a pelagem da cabeça para entrar com o acabamento na tesoura.

Uma das maiores dificuldades que vejo em nossa escola e no meio em que trabalhamos é fazer a cabeça do Westie. Eu mesma levei algum tempo para aprender e a cada vez que faço aprendo mais alguma coisa. Para quem não sabe vou contar um segredinho: a cabeça de Westie deve ser tosada no formato de um Crisântemo.

Crisântemo é uma flor que possui as pétalas organizadas em formato de bola (veja foto acima).

Agora vamos às proporções. A distância entre os dois olhos corresponde à distância entre eles e a borda do início do círculo da cabeça quando visto de frente.

O círculo da cabeça depende do tamanho da orelha do Westie. Quase sempre a barbicha abaixo do focinho ficará curta para conseguirmos fazer um círculo perfeito na cabeça.

Lembrando que sempre haverá variações de altura, porque o tamanho da orelha e do focinho e afastamento dos olhos variam de cão para cão.

Desse modo, as alturas devem ser ajustadas de acordo com cada exemplar. Para a cabeça, utilizo tesoura reta, tubarão e semi dentada nessa etapa da tosa.

QUANDO FAZER O HAND?

O procedimento correto para que a tosa seja confortável, é esperar que o pelo alcance até 4cm. Nesta fase o pelo será extraído com facilidade, como se estivesse “frouxo” e poderá ser arrancado.  Assim, o cão nem sentirá o “puxar” do pelo.

Os pelos extraídos crescerão mais duros. Após três semanas, o cão poderá fazer uma nova sessão de tosa, pois os extraídos na sessão anterior já estarão crescidos.

Nessa tosa das fotos, arranquei os pelos na lateral, preservando a saia. A aparência geral do Westie é a magnifica combinação da força com a ação do cão. O dorso é reto e o peito bem fundo, dando um aspecto compacto ao pet.


Por: Pamela Lopes

Sócio proprietária da Lopes Groom escola de banho e tosa e V&P Laços, de Serra Negra-SP. Master Groomer IDGA e IGU.

Instagram: @pamelaborguesi

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.