Empreendedores do MUNDO DO GROOMING: desafios e histórias

Pamela e Vanderlei Lopes: casal é dono de escola, pet shop, fábrica de acessórios e distribuidora no setor grooming – Foto: Amanda Godoy

Confira relatos e experiências de groomers que arriscaram e hoje são empresários do setor

Empreender no Brasil não é tarefa fácil, não importa o setor que você escolha. Altos impostos, inflação e grande burocracia são alguns dos principais entraves que acabam fazendo com que muitos desistam sem sequer tentar abrir o seu próprio negócio. Mesmo no mercado pet que é tido como um setor próspero e que não enfrenta crises, é preciso coragem para empreender. E coragem é o que não falta nos entrevistados dessa reportagem. Confira.

Casal de negócios do mundo do grooming

Muito conhecidos no meio pet, o casal de empreendedores Pamela e Vanderlei Lopes, de Serra Negra-SP, são um exemplo de groomers empreendedores que conseguiram diversificar o negócio deles e crescer de forma sustentável. Antes de entrarem no segmento pet, os dois seguiam caminhos distintos. Pamela trabalhava como vendedora em Andradas-MG e Vanderlei chegou a trabalhar como fiscal na prefeitura de Serra Negra-SP. “Fui para a área pet em 2008 quando recebi um convite da dona do pet shop que eu levava os cães da minha avó. Aceitei o convite, mesmo o salário sendo mais baixo do que eu ganhava como vendedora e sem ter feito nenhum curso de banho e tosa”, relembra Pamela.

Já Vanderlei, começou a trabalhar muito novo, ainda no colegial, como ajudante de recreação e em supermercados. “Em 1998, um amigo me chamou para trabalhar no pet shop dele, o Cãomuflado. Gostei bastante do trabalho e aprendi muitas coisas na prática”, relembra o groomer, que quase desistiu da área de grooming por achar que não era uma profissão de verdade. “Fiz cursos de administração e edificação, pois na época existia muito preconceito em torno do trabalho no banho e tosa. Mas mesmo trabalhando em outros lugares nunca deixei de fazer um cão ou outro, no fim de semana, ou de noite em casa”, conta Vanderlei. Porém, um dia, o coração falou mais alto e Vanderlei largou seu trabalho de fiscal da prefeitura e, em 2005, fez curso de banho e tosa com o groomer Sérgio Murilo Villasanti e montou um pet shop. Porém, em 2009, tanto Pamela como Vanderlei deram uma guinada na vida deles que foi crucial para tudo que construíram hoje: Pamela foi fazer cursos de especialização com o Serginho em Campinas-SP e Vanderlei aceitou o convite do groomer campineiro para ser instrutor na República dos Cães, escola fundada por Sérgio. “Fechei meu pet shop e fui trabalhar com o Sérgio que hoje é nosso padrinho e foi com ele que tivemos um aprendizado gigante para seguirmos nossas vidas no grooming”, aponta Vanderlei. Já Pamela, lembra que fez seu primeiro curso de banho e tosa com muita relutância, pois as aulas eram aos finais de semana e em seus dias de folga, mas foi lá que conheceu o Vanderlei. “Sempre relutei muito para fazer cursos, pois achava que não era necessário. Com o tempo percebi que aprender é importante para nosso crescimento como profissional”, ilustra Pamela sobre como estudar foi fundamental na trajetória dela. “Hoje sou eu quem puxa o Vanderlei para os cursos”, ri.

Casados, Vanderlei e Pamela iniciaram no mundo dos negócios com duas frentes: o Dimy Pet Shop e a Escola Lopes Groom. “Quando me mudei para Serra Negra-SP o Vanderlei dava cursos em Campinas e região e eu não era conhecida. Então comecei a fazer cães em casa. Quando eu estava com fluxo grande de clientes o Vanderlei deixou os cursos e abrimos o nosso pet shop na garagem de casa e o Vanderlei continuou dando aulas, mas na nossa escola”, compartilha Pamela. 

Aos poucos, começaram a vender acessórios também, pois produziam lacinhos e outros itens para o pet shop e recebiam encomendas. “Começamos a fazer os acessórios por necessidade. Tínhamos alguém que fazia para a gente, mas a pessoa, muitas vezes, entregava uns lacinhos que não serviam para cães. Um dia essa pessoa nos deixou na mão justo em uma data comemorativa, era Dia das Mães. A partir daí começamos a fazer à mão nossos próprios acessórios e foi um sucesso, nascendo a V&P Acessórios”, afirma Pamela. “Hoje estamos até exportando nossos acessórios para a Bélgica e Porto Rico”, anuncia a groomer, que chama a atenção para outro lado da carreira dela e do Vanderlei que foi fundamental para o crescimento de ambos: se desafiar sempre. “Comecei a competir em 2015, na Copa Bichón, e nunca mais parei. A parte de competição ajudou muito a gente, é uma oportunidade de aplicar tudo que você aprendeu”, comenta. Vanderlei também sempre competiu, tendo conquistado, inclusive, o Best in Show na categoria Profissional do Groom Brasil em 2015. “Fui aos Estados Unidos depois de vencer o Groom Brasil, não ganhei nada, mas em seguida fui para a Argentina competir de novo e fui campeão lá com um Poodle. Isso é uma coisa constante na nossa vida, aprimorar nossa técnica”, ressalta Vanderlei. Aliás, Pamela se especializou em hand stripping com muito esforço e estudo, que incluiu até um estágio de 2 meses com Livia Krainer, handler conhecida no meio das exposições, nos Estados Unidos. “Depois de muito estudo e esforço, posso dizer que meus cães são realmente impecáveis”, enfatiza Pamela.

Hoje, além das três empresas já citadas, o casal ainda tem uma distribuidora de cosméticos, que ainda está no início, mas vem crescendo, e vão lançar uma plataforma de aulas e cursos online na feira SuperPet 2022. “Nenhuma empresa vai a lugar algum sem uma equipe. Nossos colaboradores são nossa família”, destaca Pamela, sobre a importância de aprender a liderar a equipe e fazer com que todos sejam bem treinados. “No começo a gente queria fazer tudo. Então, transferir a responsabilidade para cada colaborador foi uma dificuldade. Ter liderança, treinar a equipe com constante incentivo e motivação é essencial”, destaca Vanderlei. “Para empreender arriscar é importante, ter um planejamento é preciso, mas é importante fazer, não ficar só planejando. Fazer acontecer. Outra dica é fazer o básico muito bem-feito”, finaliza Vanderlei. “Empreender hoje no ramo pet não é apenas abrir o negócio. Precisa se atualizar, inovar e se tornar atrativo para seus clientes”, encerra Pamela.

De groomer à fabricante de roupas e dona de escola

Sandra Bezerra montou a LM Uniformes a partir de uma ideia inovadora: terminar o dia de trabalho sem pelos grudados no uniforme – Foto: Divulgação

Sandra Bezerra, de Sorocaba-SP, entrou no mundo grooming em 1997. “Comecei como auxiliar de veterinário e me apaixonei por banho e tosa”, conta. Como a clínica em que Sandra trabalhava era especializada em ortopedia, seus clientes eram sempre cães ou gatos com algum tipo de deficiência, como amputados, idosos com desgaste ósseo etc. E isso obrigou Sandra a desenvolver técnicas de como trabalhar com eles da maneira mais confortável possível, respeitando suas limitações. “Sempre tive a preocupação de que ficassem lindos para seus tutores. Então, rapidamente esse cuidado começou a chamar a atenção de tutores cujos cães e gatos não tinham deficiência, mas que viam no meu trabalho o cuidado com a segurança e o bem-estar animal, numa época que esse tipo de tratamento não estava em voga”, relembra a empresária, que percebeu a necessidade em empreender em sua marca LM Uniformes quando resolveu montar o seu salão de grooming e percebeu o quanto era incômodo ter tantos pelos grudados pelo corpo todos os dias. “Então, comecei a buscar materiais que não aderem pelo e quando encontrei, meu marido imediatamente já disse que todos os profissionais da área iriam adorar. Nesse dia nasceu a LM Uniformes Profissionais”, revela.

Hoje, Sandra e seu marido, Douglas Feliciano da Silva, têm o Pet Shop Latidos & Miados, a LM Uniformes e a LM Bordados Computadorizados, que borda dizeres nos uniformes de groomers e veterinários. “Todas as nossas empresas me exigem muita dedicação, mas o pet shop, como lidamos com cães e gatos, nos exige uma grande atenção”, compartilha Sandra, que diz valer cada gota de suor para concretizar sonhos. “O segredo do sucesso é 5% de inspiração e 95% de transpiração. Outra coisa superimportante é que às vezes precisamos rever a rota, faz parte da caminhada. Manter um sorriso também faz a diferença”, finaliza.

Escola, centro de estética e distribuidora

Escola, centro de estética e distribuidora: Waldecir Silva montou três negócios no mundo grooming – Foto: Divulgação

Como muitos do setor de grooming, Waldecir Silva também entrou no mundo pet por um acaso. “Comecei em 2004 fazendo freelances nos meus dias de folga em um pet shop que era também gatil, um dos motivos por eu gostar tanto de gatos. Era a maior loja da cidade de Timbó-SC, que na época tinha uns dois ou três pet shops”, relembra o groomer, que na época, era professor de inglês em escolas públicas e cliente desse pet shop. “Alguns meses depois o proprietário me chamou para fazer parte do quadro de colaboradores do pet shop. Então, ao término do ano letivo, aceitei trabalhar no pet shop durante o dia e à noite continuava dando aulas”, relembra Waldecir, cuja condição para aceitar o emprego implicava na realização de cursos na área de banho e tosa. “Quando fiz meu primeiro curso, em Campinas-SP, nunca mais parei. No mesmo ano foram 11 especializações e assim nunca mais parei de estudar, como continuo até hoje”, diz.

Em 2005, o groomer fechou parceria com a Pet Society, que na época, era uma empresa nova no mercado, mas com grandes planos para o futuro do mundo pet no Brasil. “Em abril de 2005 já fui convidado a participar da 1ª feira como profissional no estande da Pet Society em Curitiba, depois na Petfair e em seguida na Pet South America. Assim se foram 16 anos de parceria e participação em muitas feiras, congressos nacionais e internacionais etc.”, aponta Waldecir, que percebeu que era hora de empreender em 2105. “Abri primeiro uma empresa para prestar consultoria, algo que já fazia através da Pet Society. Neste momento ajudava algumas empresas a se estruturar gerencialmente no ramo pet e serem mais profissionais. O mercado pet ainda hoje é amador demais e muitos ‘quebram’ por falta de conhecimento ou por levarem em conta opiniões de pessoas e/ou profissionais que nunca construíram nada”, conta.

Para ele, estudar e buscar por conhecimento foi essencial nessa jornada de crescimento profissional e empreendedorismo. “Com busca incessante pelo conhecimento de todas as áreas que nos rodeiam fica muito mais fácil de prosperar, saber definir o que lhe serve ou o que deve ser ignorado. No momento em que abrimos a empresa em Timbó muitas pessoas, inclusive familiares, nos chamaram de loucos por abrir uma empresa ‘conceito’ em uma cidade pequena e distante de grandes centros, principalmente a escola. Com a ideia de que podemos sim construir algo sólido e mostrar para as pessoas que o que elas recebem não condiz com o que elas deveriam receber, que os serviços têm uma forma diferente de serem entregues, que o que ela investe não é de igual valor pelo que recebe. Seguindo isto, conseguimos criar um conceito de que ‘o básico pode ser muito mais do que elas recebem atualmente’”, aponta Waldecir, que sempre passa o seguinte lema aos seus alunos:  “Ser único não é fazer o que ninguém faz, mas sim fazer o que todo mundo faz muito melhor”.

Hoje Waldecir possui três negócios que são no mesmo ramo, mas exigem competências diferentes:

– Star Pet Grooming – Centro de estética especializado, que apenas presta serviço de banho e tosa, não tem pet shop.

– Star Pet Grooming School – Escola de banho e tosa, com cursos para iniciantes, especialização em tosas diversas, gestão pet, como montar seu próprio negócio etc.

– Timbó Pet Care Distribuidora – Uma distribuidora de produtos para pet shop, com toda parte de cosméticos, insumos e equipamentos para pet e para profissionais.

“Seja corajoso, empreenda, porém com a modéstia de que precisa sempre estar ‘aprendendo’ algo. Ninguém sabe tudo e ninguém ignora tudo. Conheça o mercado onde pretende atuar de forma completa, e se não sabe, procure realmente pessoas que possam somar, pesquise as pessoas ou empresas que pretende ter como parceiros de negócios. E, seja feliz com aquilo que faz, não apenas porque lhe traz dinheiro…”, ensina Waldecir.

De vendedor de hot dog a empresário

Renato Leiva: dono de escola, já formou mais de 8 mil alunos de 15 países – Foto: Divulgação

Renato Leiva, de Guarulhos-SP, hoje, é CEO da Escola Belas Patas, em que já passaram mais de 8 mil alunos de 15 países. Fundada há 12 anos pelo groomer, a Escola é certificada internacionalmente pela Canine Grooming Academy da Espanha. Além disso, Renato também é co-fundador da GroomerPro, curso virtual de banho e tosa que surgiu a partir do canal no YouTube da Escola. No entanto, quando Renato deixou de vender hot dog para entrar no mundo do grooming, ele não imaginava que um dia poderia criar tantos negócios no segmento de grooming. Hoje, o mercado pet tem faturamento de R$ 40 bilhões de reais segundo dados do Instituto Pet Brasil e o Brasil é o terceiro no ranking de faturamento.No entanto, em 2006, quando Renato começou, o cenário era bem diferente. Nesta época, dar banho e tosar cães e gatos nem era considerado uma “profissão de verdade”. “Era um segmento pouco valorizado, mas com estudo, dedicação e treino, passei a ser reconhecido e decidi oferecer aulas e treinamento para profissionais do segmento ou os que estavam interessados em ter uma nova profissão”, explica Renato, que virou groomer por uma oportunidade. “Meu sonho era trabalhar com algo que envolvesse os animais. Quando surgiu uma pessoa conhecida da família que estava começando um pet shop e não tinha condições de pagar um salário, mas estava disposta a dar oportunidade para alguém sem experiência, não perdi a oportunidade! Mas na época não era tão ‘bonito’ falar que trabalhava com pet shop, sofri muito preconceito e reprovação da família, parentes e amigos”, compartilha. 

Renato teve grande parte da carreira alavancada após ter iniciado no mundo das competições. “O Groom Brasil Novos Talentos edição 2011 foi minha primeira competição e tive a honra de ser julgado pela Teri Dimarino, juíza americana que julga os principais concursos do mundo. Eu não estava preparado para isso (risos). Ela gostou do meu trabalho e peguei o primeiro lugar!”, relembra Renato, que em 2019, foi Best in Show no Groom Brasil, também julgado pela juíza Teri Di Marino. “Tem uma frase que diz: você só perde o medo de voar voando. Se a pessoa percebeu que precisa passar pelas competições para ter reconhecimento e mais valorização profissional, o medo é uma barreira pequena demais para se quebrar em comparação com a recompensa de competir. Minha melhor dica é estude e treine o suficiente para se sentir segura tosando a raça que escolheu para competir”, aconselha Renato, que após essa conquista, obteve vários outros títulos em competições fazendo parte, inclusive, do time brasileiro de grooming.

Renato oferece diversos cursos e treinamentos, além de ter sido agraciado com sete certificações internacionais tanto por instruções europeias quanto americanas em competições com groomers de vários países. E hoje, além de groomer, ele é empreendedor e ensina seus alunos a como montar um negócio perene e lucrativo a partir do segmento pet. Sua escola, a Belas Patas, começou de forma muito amadora. “Eu e a Aline, minha esposa e sócia, começamos sublocando uma sala minúscula dentro de um pet shop, porém, por pior que fosse a infraestrutura, nosso padrão de qualidade das aulas e materiais didáticos eram ótimos! Nunca paramos de reinvestir para crescer. Esse é o principal segredo para quem começa pequeno!”, diz.

Para Renato, o mercado pet será ainda muito mais promissor do que já é. “Acredito que o mercado ainda está longe de atingir seu máximo potencial, por imaturidade dos profissionais e mercado. Para ter algo sólido em um futuro próximo, cada profissional precisar tomar decisões profissionais diariamente, visando seu bem-estar e dos pets! Valorizando a profissão que hoje não é mais apenas lavar, secar e raspar cachorros. Hoje lidamos com saúde, comportamento e estética”, opina.

A seguir, Renato lista lições que ajudam outros groomers a empreender:

Aprendizagem contínua – Nunca deixe de buscar especializações e cursos para complementar sua formação.

Qualidade é o seu maior diferencial – Embora a oferta de serviços de banho e tosa para pets tenha aumentado nos últimos tempos, muitos profissionais ainda possuem condutas amadoras. “É importante entender que o trabalho do groomer é extremamente sério. Um passo em falso e o cachorro pode ter uma falha na pelagem que, posteriormente, pode virar uma dermatite ou até algo pior”, explica. Então, realizar seu trabalho com qualidade e dedicação são alguns dos diferenciais que vão fidelizar o tutor.

Pensar fora da caixa – É preciso reservar uma parte do seu tempo para avaliar os resultados e focar nos temas estratégicos relacionados à sua empresa. “Muitos acabam focando somente no operacional e esquecem de se dedicar a estratégia da empresa. Como posso inovar meu trabalho? Como posso trazer mais valor para o meu cliente?”. Essas são algumas perguntas que devemos sempre nos fazer”, enfatiza.

Quem não mede, não gerencia – Ter metas, avaliar e gerenciar andam de mãos dadas. A partir da análise dos dados e de uma conversa entre a equipe, é possível reavaliar a estratégia e, se necessário, mudar a rota. “Daí a importância de um planejamento estratégico com KPIs definidos”, encerra Renato.


Por  Samia Malas

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.