10 cuidados para um banho de excelência

Analise cada estrutura de pelo para entender o que o animal precisa na hora do banho e da tosa – Foto: chaoss.iStockphoto.com

Especialistas do mercado aconselham o que fazer e o que não fazer na hora do banho

O banho é o serviço mais requisitado no banho e tosa. E são muitas as variáveis que podem fazer desse banho um sucesso ou um desastre. “A importância de realizar um bom banho é garantir a santificação do cliente, fazer com que ele saia satisfeito”, aponta Sidirley Oliveira da Silva, da Pet School Amazon Groom, de Manaus-AM.

Segundo Waldecir Silva, proprietário da Star Pet Grooming School, de Timbó-SC, são muitos os erros cometidos por groomers na hora do banhar um cão. “Os mais comuns são achar que todos os cães são iguais e banhar e escovar igual; não entender sobre cosmetologia veterinária e sobre shampoos, condicionadores, máscaras, etc., e assim, não conseguirem tirar o melhor que o produto tem a lhes oferecer; não conhecer sobre os materiais de secagem e escovação, assim também não conseguem fazer com que tenham um resultado de alta performance; não conhecer a estrutura física das raças”, lista.

“O banho é o dia a dia, onde se conquista e fideliza o cliente”, ressalta Alex Jardim Amorim, groomer de Porto Alegre-RS, proprietário do pet shop Mundo Grooming Estética Animal.

Para Claudinei Krynski, diretor da Beauty Animal Distribuidora Vet, de Curitiba-PR, a grande dificuldade do banho está em atender as expectativas do tutor. “Nem sempre é possível atender 100% a expectativa do tutor, devido as diferentes características e particularidades pessoais de cada um. Mas tenha certeza de que, ao entregar o melhor sempre e manter um padrão, vai trazer ao seu banho e tosa a sonhada fidelidade”, aponta. “Como distribuidores, nosso principal papel é fornecer o treinamento adequado para melhor utilização da linha de nossos parceiros. Entregamos um processo de banho, que vai atender a diversas características de cães e gatos”, completa Claudinei.

Segundo Luis Eduardo Flores, gerente comercial da distribuidora Plantar Veterinária, de Canoas-RS, “um banho perfeito garante saúde e bem-estar do animal, além de durabilidade e manutenção da pelagem, possibilitando aos profissionais do centro de estética animal realçarem a beleza de cada animal, garantido a fidelização e satisfação do tutor.”

Algumas raças são um pouco mais difíceis de se trabalhar, como o Spitz Alemão, pela maior dificuldade em umedecer e secar – Foto: GlobalP.iStockphoto.com

1.Analise bem a pelagem

“É fundamental entender que para cada tipo de tosa existe uma maneira diferente de banhar, secar, escovar e até mesmo que tipo de produto utilizar”, ensina Waldecir. “A análise de cada estrutura de pelo e entender o animal que tenho no momento para tosar é tão importante quanto a própria tosa”, complementa o profissional.

2. Estude bastante

O segredo para se obter um resultado top no banho do pet é “estudar e entender além de estrutura de pelo e entender também a fundo os cosméticos disponíveis no mercado para que possa buscar o melhor resultado possível”, opina Waldecir. “Posso ter dois Shih Tzus com pelagens muito diferentes e para cada um usar produtos e técnicas diferentes para obter o melhor resultado em cada um deles”, exemplifica.

“Hoje, com o crescimento do mercado pet, e a mudança de banho e tosa para Centro de estética animal, a especialização e capacitação dos profissionais, se torna indispensáveis”, comenta Luis. “Não estar em constante evolução é um erro comum, infelizmente”, acrescenta. Para contornar esse problema, Luis conta que a Plantar criou o projeto Groomers Plantar Sul, que aborda vários temas do cotidiano dos groomers, desde os mais básicos, até às últimas técnicas e tendências do mercado, como tosas padrões de raça, venda de serviços, colorimetria, cronograma capilar, nutrição, consultoria de processos e custos. “Hoje o projeto possui 400 profissionais cadastrados, temos duas aulas online mês. Em 2020 formamos e certificamos 80 profissionais e em 2021 queremos superar muito esse número”, compartilha.

3. Escolha de produtos

É preciso saber escolher a melhor sequência de produtos, de acordo com o estado e pelagem de um cão. “Por exemplo, tenho um animal bicolor (branco e preto) não muito sujo, um animal que vem ao banho semanalmente e vou fazer uma tosa bebê, então usaria neutralizador de odores; shampoo volume supremo; máscara de hidratação volume supremo; soprar e secar com o vento no sentido contrário do crescimento do pelo. Escovação seguindo o mesmo sentido”, ilustra Waldecir.

Utilizar produtos de alta performance, com matéria-prima de qualidade, é um dos pontos que garante a qualidade do banho, destaca Luis. “Isso associado à uma boa escovação e finalização, com as etapas corretas de pré-banho, banho e embelezamento. “Produtos de qualidade, serviço de qualidade, profissionais especializados, processos bem definidos, resulta em um banho de excelência”, ressalta.

“Um dos principais erros cometidos por groomers é generalizar as marcas de produtos utilizadas, sem respeitar a forma correta de utilização. Um exemplo, é diluir um produto que foi produzido para pronto uso e vice-versa”, destaca Claudinei, sobre a importância de estudar sobre os produtos que se utiliza.

Para cada tipo de tosa existe uma maneira diferente de banhar, secar, escovar e escolher produtos – Foto: JackF.iStockphoto.com

4. Hidratação: Quando usar?

Nem sempre é preciso recorrer a hidratação, que deve ser cobrado como um serviço a parte no banho. “Normalmente usamos ela apenas para melhorar a qualidade do processo de banho ou mesmo melhorar o resultado da pelagem para a tosa. Além de podermos vender também para manter a qualidade e controle hídrico da pele e do pelo”, aponta Waldecir. Já Sidirley a usa apenas em pelagens muito danificadas.

“A hidratação faz parte do banho quando solicitado pelo cliente ou quando o esteticista percebe a necessidade. Hidratação deve ser inserida depois das duas demãos de shampoo e o cão sem nó”, ensina Alex.

5. Alerta aos cães mais trabalhosos

Desde que o animal seja acostumado com o banho, o groomer consegue realizar um bom trabalho. Contudo, existem algumas raças cujos pelos são um pouco mais difíceis de se trabalhar. Waldecir aponta os cães do grupo 5 (como Spitz Alemão, Husky Siberiano, etc.) pela maior dificuldade em umedecer e secar. “É extremamente importante para estas raças uma pele completamente seca, para que não tenhamos maiores problemas dermatológicos”, alerta.

Já Alex considera as pelagens lisas e longas como as mais difíceis.

“Se não souber esfregar e secar, irá causar nó e arrebentar o pelo”, alerta.

6. Atenção aos processos

Não ter processos de banho bem definidos é um erro comum no banho e tosa”, critica Luis. Claudinei concorda e destaca que o segredo de um bom banho está nos processos. “As mais famosas redes de fast food esfregam isso em nossas caras todos os dias. Investir em treinamentos, tanto no atendimento direto ao cliente, quanto em novas terapias. Obedecer a forma correta de utilização de aparelhos e produtos. Assim o profissional pode entregar um trabalho de qualidade de forma eficaz. Indico muito O 5S, que é uma ferramenta de gestão para melhorar diversos pontos de uma empresa, como a organização, limpeza e padronização”, explica. 

Assim, no banho, o groomer deve utilizar os produtos de acordo com a orientação da fábrica, aponta Alex. “Geralmente são dois shampoos, um condicionador ou hidratação”, destaca.

7. Cuidado com os nós

Para Alex, o segredo de um bom banho é retirar sempre os nós antes do procedimento. “Depois utilizar os produtos corretos tendo o conhecimento dos mesmos”, acrescenta. Aliás, utilizar a hidratação para remover os nós é outro erro. “Hidratação é para o banho depois da retirada dos nós, fazendo assim, a reconstrução, nutrição ou hidratação dos pelos”, ensina.

8. Pré-banho

Não fazer a higiene adequada nas orelhas, focinho e região dos olhos é um erro que não pode ser cometido na hora do banho, aponta Claudinei. Alex acrescenta que no pré-banho, deve ser feito corte de unha e limpeza de ouvido, além da já citada retirada dos nós.

9. Temperatura da água

Estar atento a temperatura da água no banho é fundamental. “Muitos groomers utilizam água muito quente em seus banhos”, aponta Claudinei. A temperatura da água deve ser medida igual com bebês, ou seja, verificando a água na parte de dentro do pulso. A temperatura deve estar entre 35 e ºC”, explica Alex.

10. Secagem e finalização

Após o banho, fazer uma secagem e finalização adequados são igualmente importantes. “Para a secagem, primeiro soprar depois secar e escovar bem. Na finalização, coloque enfeite e perfume, sem passar a mão depois”, destaca Alex.


Por:

• Alex Jardim Amorim -Proprietário do pet shop Mundo Grooming Estética Animal, de Porto Alegre-RS. Representa as marcas Mundo Grooming, Hydra, Kyklon e My Pets Laços. Tosador há 11 anos, já participou de diversas competições conquistando podium. Ministro cursos de iniciante à especialização do banho e tosa.  – Instagram: @mundogrooming

Claudinei Krynski – Diretor na empresa Beauty Animal Distribuidora Vet. Atua com a marca Empóriopet nos estados do Paraná e Rio de Janeiro. E com a marca Hágil Terapêutica no Paraná. Instagram: @beautyanimaldistribuidoracwb

Luis Eduardo Flores – Gerente Comercial da Plantar Veterinária, de Canoas-RS, que trabalha com as marcas Boehringer, Zoetis, Pet Society, Dechra, Noxon, Nutropica e Vetoquinol. www.plantarnet.com.br

Sidirley Oliveira Da Silva – Proprietário da Petschool Amazon Groom. Instagram:  @petschool_amazongroom

• Waldecir Silva – Groomer e Consultor. Profissional com quase 20 anos de experiência, proprietário da Star Pet Grooming School em Santa Catarina. CEO da Timbó Pet Care Distribuidora de Produtos Veterinários, distribuidor exclusivo para SC dos produtos Dolce Pet.
E-mail: contato@escoastarpet.com.br – Instagram e Facebook – @waldecirsilva

 

Clique aqui e adquira já a edição 235 da Revista PetCenter/Groom Brasil e veja todas as reportagens na íntegra!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.